Micropigmentação

A micropigmentação estética e paramédica, foi criada para corrigir imperfeições da face e do corpo, assim melhorando a aparência de uma forma sutil.

Lembrando que é um procedimento semelhante a tatuagem, mas as técnicas e materiais são totalmente distintos.

O aparelho utilizado é composto de agulhas e através delas o pigmento é aplicado na epiderme, camada superficial da pele.


A quem se destina a micropigmentação:

• Pessoas que têm pouco tempo para maquiar-se;

• Portadores de deficiência visual, cujo uso dos óculos dificulta a aplicação da maquiagem;

• Homens que querem melhorar seu visual de forma natural;

• Portadores de deficiência motora, artrose, mal de parkinson, esclerose múltipla ou mãos trêmulas;

• Mulheres que se submeteram à depilação constante das sobrancelhas por mãos não habilitadas; que as deixaram com falhas irregulares e formatos não harmônicos ou até mesmo inexistentes;

• Alérgicos a cosméticos, principalmente maquiagem;

• Pessoas da terceira idade que querem ter aparência mais jovem de maneira natural;

• Desportistas que querem estar com uma boa aparência ao praticar seu esporte sem correr o risco da maquiagem borrar;

• Portadores de vitiligo passivo ou leucodermia (manchas brancas causadas por ausência de melanina);
• Pessoas com estrias (avermelhadas, brancas, atróficas e hipertróficas);

• Pessoas com calvície, afinamento ou queda total do cabelo;

• Pacientes de quimioterapia;

• Pessoas com cicatrizes pós-cirúrgicas, de acidentes, queimaduras ou ferimentos;

• Portadores de alopécia areata;

• Pessoas que sofreram mastectomia ou mamoplastia: reconstrução e repigmentação das aréolas e mamilos, camuflagem da cicatriz periareolar;

• Pessoas que necessitam de repigmentação de lábios leporinos;